Opinião – Pagar cachês de artistas nada mais é ser correto e cumprir a palavra!

Show – O Bando do Velho Jack volta com seu rock neste sábado no Blues Bar
01/20/2018
Show – Bee Gees Alive tocará neste sábado no Palácio Popular da Cultura
01/25/2018

Opinião – Pagar cachês de artistas nada mais é ser correto e cumprir a palavra!

A grave crise que está encravada na Secretaria de Cultura e Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul devido ao não pagamento de cachês de inúmeros artistas, foi tema abordado ontem quando encontrei a governadora interina de Mato Grosso do Sul, Rose Modesto. De imediato ela disse estar surpresa com a notícia, principalmente porque, mesmo com diversos compromissos, não sabia que a situação era tão crítica assim, até porque o próprio governador Reinaldo Azambuja diz sempre que todos os compromissos feitos devem ser sanados de imediato.

“Como educadora respeito muito a influência da arte, o papel dela na nossa vida, e a batalha que é dos que vivem desse setor. Esse tipo de problema sempre precisa ser resolvido o quanto antes. Em qualquer hipótese me colocarei como ponte para solucionar questões assim da melhor forma possível, junto a nossa equipe da Secretaria de Cultura e Cidadania. Nosso governo vê como prioridade a valorização do artista local. Se existir algum problema assim, preciso entender primeiramente o porquê”, comentou a governadora.

Até acredito realmente que Reinaldo Azambuja e Rose Modesto não sabiam o que realmente está ocorrendo dentro da Cultura, justamente porque delegam como governantes, pessoas que possam ser capazes para gerir as pastas. Para isso aprovou a realização de várias ações, como festivais, shows, encontros culturais que a população estivesse presente. No entanto, por confiarem muito em alguns gestores, para eles estava ocorrendo tudo tranquilamente, já que  o que era passado, era justamente que a classe artísticas estava muito feliz com as várias ações culturais em todo Estado. Por sua vez, não sabiam que os cachês não estavam sendo pagos em sua maioria.

O não pagamento dos cachês do eventos culturais realizados na Cultura não são de responsabilidade de Azambuja e Rose pelo que venho notando. Na realidade foi o planejamento totalmente falho por parte daqueles que são responsáveis diretamente em trabalhar na área.  Uma pasta que recebe R$ 35 milhões para trabalhar com a Cultura, não deve “torrar” dinheiro tão rapidamente assim como foi feito. A palavra Cultura já diz tudo: significa que todo aquele complexo que inclui o conhecimento, a arte, as crenças, a lei, a moral, os costumes e todos os hábitos e aptidões pelo ser humano não somente em família, como também fazer parte de uma sociedade da qual é membro.

Seria interessante seguir o exemplo da  Câmara dos Vereadores do Recife que aprovou  um projeto de lei que regulamenta o pagamento de cachês de artistas e agremiações da cultura popular nos ciclos festivos da cidade. A proposta determina que as atrações locais tenham metade do valor referente às apresentações pagos com antecedência. É simples e dá muito certo. Sejamos mais sensatos e vamos apoiar os artistas, valorizando a todos e pagando os cachês corretamente. Basta apenas ser correto Basta ser honesto e mostrar a realidade dos fatos. Não se compra uma casa, um automóvel ou qualquer coisa se sabemos que não podemos pagar. Acredito com a intervenção da governadora interina do Estado de Mato Grosso do Sul, com certeza os artistas poderão receber seus pagamentos, que em muitos casos estão há meses sem ver a cor do dinheiro. E Viva a Cultura !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *