Teatro – Grupo de Risco celebra seus 30 anos de trajetória em MS

Rock – Misbehavior lança videoclipe durante show neste sábado em Dourados
02/24/2018
Teatro – Espetáculo “Pantanália” vai percorrer Ceinf’s em Campo Grande
02/27/2018

Teatro – Grupo de Risco celebra seus 30 anos de trajetória em MS

Teatral Grupo de Risco comemorando 30 anos com diversas apresentações. (Foto: Helton Perez - Vaca Azul)

Várias atividades permeiam a comemoração dos 30 anos, do Teatral Grupo de Risco, entre elas, apresentações teatrais, exibições de filmes, oficinas de formação, rodas de conversas sobre diversos temas sociais, culturais e políticos, além do início do processo de sistematização da história do grupo. As apresentações teatrais iniciam neste sábado (24) na Feira Piratininga, às 19h, aberto ao público, com o Espetáculo de rua “A Princesa Engasgada” (de Márcia Frederico).

A peça, em cartaz há 17 anos, é baseado na comédia del arte, uma homenagem ao humor do teatro medieval no qual dois atores representam diversos personagens. Uma camponesa cansada de apanhar do marido percebe a oportunidade de vingar-se dele quando aparece um fidalgo em busca de um médico para curar a filha do rei. A princesa está engasgada com uma espinha de peixe e precisa de um médico. A camponesa diz que seu marido é um médico O camponês, sem poder recusar é levado ao rei e começa assim seu castigo. Foi encenada em praças de Campo Grande e várias cidades do interior de Mato Grosso do Sul, além de participar de festivais e mostras teatrais no estado e país. Sucesso de crítica e de público foi premiado pelo 21° Festival Sul-Mato-Grossense de Teatro em Campo Grande, recebeu o Prêmio Funarte de Teatro de Rua.

O espetáculo se apresentará ainda em outras duas feiras da Capital: Feira da Coophavila 2, no dia 27/02 – próxima terça-feira, encerrando este primeiro ciclo de apresentações na Feira da Orla Morena no Cabreúva, todas as 19h, abertas ao público. Durante todo o ano, o TGR realizará diversas atividades artísticas potencializando os espetáculos que atualmente compõe o repertório do grupo com intuito de fortalecer o trabalho teatral em Campo Grande e manter a produção cultural na cidade viabilizando o acesso a arte.

Estas apresentações compõe o Projeto TGR em Fluxo aprovado no edital FOMTEATRO 2017 via Secretaria de Cultura e Turismo e Prefeitura Municipal de Campo Grande. TGR em Fluxo compreende 12 apresentações teatrais de 04 espetáculos distintos da companhia, 04 exibições de filmes produzidos pelo grupo, oficinas de iniciação teatral para jovens estudantes do bairro Nova Lima, e o início da sistematização do registro histórico do TGR. Todas as ações serão revertidas à sociedade, sem cobrança de ingressos ou taxas, para garantir o acesso ao que a própria sociedade investiu. TGR em Fluxo objetiva manter as atividades culturais do Teatral Grupo de Risco, promover o acesso a cultura e difusão da história de Mato Grosso do Sul, colaborando com o reconhecimento de nossa identidade

Das apresentações: O grupo realizará três apresentações de cada espetáculo do repertório em cartaz, abertas ao público (gratuitas), em diversos bairros distintos e na região central de Campo Grande. Com a peça ‘Mito do Mato’, em específico, pretende-se realizar as apresentações em escolas públicas municipais para fomentar além do interesse a arte e cultura, a questão histórica identitária sobre a divisão do Estado (Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), e proporcionar uma imersão a nossa cultura regional, debater sobre signos e símbolos do processo divisionista.

Exibições dos filmes: Dois filmes produzidos pelo grupo serão exibidos em 4 (duas exibições de cada filme) escolas públicas (municipais) de Campo Grande, seguidos de um debate com os/as estudantes e grupo acerca dos temas trabalhados nos filmes. “1º A Liberdade é Dentro”, trata sobre a violência contra mulher; “Caá – A Força da Erva” registra o trabalho no erval, a exploração da erva mate no Estado, processo que compõe a história de 40 anos do MS e Capital Campo-grandense.

Formação/oficina: O grupo realizou este ano um processo de formação no bairro Nova Lima, com iniciação teatral na escola Lino Villachá, aberta a comunidade. Pretende-se dar continuidade a formação junto a comunidade que iniciou o processo. Para os meses de março e abril.

Sistematização: Fazer o levantamento histórico do grupo, atividades, espetáculos, formações, premiações, festivais que participou, metodologia e identidade, sua missão ideológica, como e onde atua, para compor um registro em formato de livro sobre a história do grupo. Esta primeira fase de levantamento, decupagem de materiais (visuais, escritos, depoimentos), será realizado neste projeto e apresentado numa atividade de encerramento. Ainda não será possível o lançamento de um livro, mas o registro e conteúdo para este.

PROGRAMAÇÃO DAS APRESENTAÇÕES TEATRAIS:

FEVEREIRO

A Princesa Engasgada (Márcia Frederico):

24/02 (sábado) – Feira Piratininga, Manoel da Costa Lima

27/02 (terça-feira) – Feira Coophavila 2, Avenida Marinha

01/03 (quinta-feira) – Feira da Orla, Cabreúva

Todas às 19h

MARÇO

Guardiões (Lú Bigattão):

14, 15 e 16/03 (quarta a sexta) – às 20h no Espaço do Teatral Grupo de Risco

Rua José Antônio Pereira, 2170 – Jd Brasil

ABRIL

Revolução (Adaptação do texto de Augusto Boal)

12/04 – (quinta-feira) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

13/04 – (sexta-feira) – Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

16/04 – (segunda-feira) – Praça dos Imigrantes, rua Rui Barbosa, nº 65

Todas as 19h

MAIO

Mito do Mato (Virginia Menezes)

28/05 – Escola Pública – Lino Vilacha, Nova Lima

29/05 – Escola Pública – Amando, Manoel Costa Lima

30/05 – Escola Pública – Irene Szukala, Aero Rancho

Horário à definir

*Todas as apresentações são gratuitas

Da peça em apresentação – A Princesa Engasgada (Márcia Frederico)

SINOPSE

Uma história irônica de uma princesa que se engasga com uma espinha de peixe e o rei determina que seja encontrado um médico para curar sua filha. Uma camponesa cansada apanhar do marido resolve se vingar e diz ao fidalgo que ele é médico, mas só trata seus pacientes quando apanha. O camponês, sem direito de recusa, é levado ao rei e assim começa seu castigo. Com suas peripécias consegue ganhar a simpatia do rei.

Tendo como referência a Comédia Dell’Arte, dois atores se transformam em reis, princesas, camponeses, tudo aos olhos do público que participa ativamente de toda a historia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *